domingo, 8 de maio de 2011


Mães!
Fátima Mello[fofinha]
Não por ser hoje dia das mães
que venho aqui te homenagear,
e, em teu nome homenageio
todas mães, brancas, pretas, amarelas
tenham elas a cor que tenham,
gordas, magras, perfeitas,
mães altas, mães baixas...
mães abastadas, mães pobres...
Mas acima de tudo mães,
que como tu jamais deixou a vida
 furtar um sorriso dos lábios,
mesmo na dor, nas amarguras
que a vida te impôs.
Mães que vão a luta
são arrimos de famílias.
Mães que hoje velam seus filhos
em hospitais sem esperança de vida.
Mães que festejam
Mães que choram perdas
Mães que tem no peito o aperto
da distância dos filhos...
Já não é possível conter a lágrima
que na face escorre na saudade
que a vida colocou...
O aperto no peito da dor da separação
Quantas mães como eu tiveram
seus filhos ceifados e levados aos céus
como anjos que eram
E que por pouco tempo ficaram
entre nós, tempo este de resgate
da sua perfeição...
Mãe quantas coisas tenho a te contar
tantas mudanças tu não tivestes
a oportunidade de vivenciar.
Mas estejas onde estiveres sei
que cada lágrima aqui derramada
e uma gota de alentos aos nossos corações...
Parabéns Mães que estão junto aos filhos
Parabéns mãe que acalenta, que cuida,
que zela, que ama..
O amor na distância sempre se faz
maior...
Obrigada minha Mãe por teres
me ensinado a conjugar o verbo AMAR...
PARABÉNS MÃES !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget