sábado, 16 de abril de 2011

Telefone do céu!



"Por favor!
Alguém sabe o telefone do céu?
Busquei no google,
em todos os sites,
nas listas telefônicas,
no 102 e nada...
Ninguém soube me informar.
Por favor!
alguém sabe?
Era somente hoje
que eu queria telefonar,
prometo aos anjos
nunca mais incomodar...
Queria hoje falar com minha mãe, e dizer a ela, que aqui na terra continua tudo igual...
Os rios continuam a correr,
os pássaros a cantar,
o frio já chegou castigando
a relva verde do jardim...
Mas algo mudo, hoje
me animo a escrever o que sinto,
coisa que ela tanto queria,
seguir sua trajetória no mundo das letras.
Queria agradecer,
por ter sido sua filha,
e por todos ensinamentos,
e principalmente por ter herdado dela, dignidade, humildade e principalmente,
por abominar como ela a tal mentira.
Por favor!
Alguém pode me dizer,
o telefone do céu?
É urgente!
queria falar a minha mãe,
por uma vez mais que a Amo!"


Fátima Mello(fofinha)

13/05/07

Entrega Total

 
FATIMAMELLO[FOFINHA] 
 

 No meu corpo resta as
marcas deixadas por tuas mãos
e teus lábios , quando em beijos
me levavas a voar,
No meu coração a doação total,
a entrega sem limites,
a vontade incontida de só te amar
de o mundo abandonar,
para somente junto a ti ficar...

Bagé/RS



AINDA QUERENDO O TELEFONE DO CÉU   
Fatima Mello[fofinha] 
         

Ainda espero conseguir...
mas se os anjos não me atenderem,
nem que seja ao vivo vou dizer...
Mãe a saudade é tanta,
 a vontade de deitar
a cabeça em teu colo,
e sentir teu afago,
que consola todas dores todo mal...
Sentir tua mão ungindo
o lugar onde tinha dor
e que por incrível que pareça
a dor passava, se era milagre
ou apenas fé em ti não sei...
Mãe tenho me sentido
tão só, tão perdida
que meu corpo
começou a adoecer,
não sei se pela saudade
ou pela solidão...
Mãe por favor entra em contato comigo
to precisando de teu colo...
Bagé, 10, maio de 2008


LAMENTO é...

Fátima mello[fofinha]
 


É o vai e vem do berço
Embalado por mãos exaustas
Da tríplice jornada de uma mãe

O andar trôpego
Do andarilho de lata em lata
Em busca de algum resto de alimento

O suspiro doído
Dos doentes nos saguões
Dos hospitais em busca de atendimento

O tremor dos mendigos
Nas noites gélidas do inverno
Embaixo de uma marquise qualquer

Dos passos cansados
De um pai a todo lado
Na busca incessante por um emprego

Lamento...
Eu sinto no peito
Em ver meu povo dia após dia
Em busca do pão, da casa; do emprego
 
**********
Mar e a Vida

Fátima Mello (fofinha)
Inconstante em seu ir e vir
maré alta...
maré baixa...
ressaca...
segue ele sempre
beijando, lambendo
 a areia da praia,
como se amante fosse...
Ora em rompantes beijos
cheio de perfumes e conchas furta cor,
ora trazendo a podridão de sua ressaca.
Assim somos nós...
bravios...
serenos...
num eterno ir e vir
de emoções...
Beijando a vida
com sofreguidão
doçura,
muitas vezes em lágrimas.
Neste vai e vem
nos descobrimos
misteriosos, profundos
límpidos ou até mesmo turvos,
seguimos...


ONDE ESTARÁ MEU PORTO SEGURO...

Fatima Mello(fofinha)
NAVEGANDO por mares bravios
e inconstante, nos descobrimos..
Perplexa pelos desejos
no principio neguei..
Mas na insistência me entreguei
rompi conceitos e preconceitos
e a ti me entreguei por inteira,
momentos de delírios
lindo idílio travamos
dias noites...horas de verdadeira paixão
entregues apenas ao momento presente
sem juras sem promessas
apenas vivemos, nos amamos...
HOJE restando apenas a saudade
te procuro na imensidão do mesmo mar,
procuro o meu porto encontrar...
FOFINHA
Publicado no Recanto das Letras em 19/08/2007
Código do texto: T613700

Labuta Desigual
HOMEM DO POVO


Bem cedo ele levanta,para a labuta começar,
Na mesa pão com manteiga,
e um café preto minguado.
Leite nem pensar, só as crianças
tem esse privilégio, se ele puder comprar.
Lá vai o homem do povo, para uma longa jornada iniciar,
Vai homem caminha,
vai em busca de teu destino, lutes,
não baixe jamais tua cabeça,
levanta bem alto,
mostra ao mundo que também têm direitos,
que não pedes favor a ninguém,
nem na fila do INSS.
Mãos calejadas, pés doridos
Da longa jornada, caminha homem,
o tempo urge...
Trás n’alma a desesperança,
No corpo as marcas de suas mazelas.
HOMEM EMPRESÁRIO

Levanta mais tarde, café já posto na mesa,
Frutas sucos,variedades de frios.
Motorista avisa que carro já esta pronto,
de gravata e paletó,
lá segue o outro homem,
Não olha para o lado,
o carro é blindado,
seu motorista armado,
passa pelo pobre homem do povo e nem o vê,
também não vê o mendigo pedinte...
Que dorme pelas calçadas ,
não tem tempo ,
o jornal tem que ler,
não vê o que esta ao seu lado,
Suas preocupações são outras...
Ganhar, ganhar, ganhar...
Mesmo que seja a custa de qualquer um...
FERA MULHER

Dentro de um casulo
ela se recolher perdida
Quer escondida deixar rolar
a lagrima que teima escorrer
Não quer que sintam pena
nem mesmo que a mão lhe estendam
por piedade se recolhe na mesmice do dia a dia
ora mulher ora fera,
Sem orquestas tocando
sem ver a flor desabrochar
fera mulher numa metamorfose sem lucidez,
Fera e mulher se confundem se fundem em uma só
em luta constante uma se sobrepondo a outra
Neste casulo procura a serenidade da mulher
querendo a fera dominar
qual das duas irá surgir?
A fera ou a mulher?

Fatima Fofinha


quinta-feira, 14 de abril de 2011

MEDO

Medo


Fatima Mello- Fofinha

Tenho medo,
Não medo de não ser amada,
De não ser querida.
Mas um medo do desconhecido
Das coisas que tenho a enfrentar
Sem saber se terei forças
Pra superar e dar a volta por cima
Meu maior medo e justamente
Por nunca o sentir
Sempre fui à luta sem me abater
E hoje me sinto frágil
Qual cristal pronto a se esfacelar ao chão
Que se passa fico a pensar
Será premonição, de que algo venha acontecer
Ou e apenas um medo sem razão
Um medo por não ter medo?
Aguia
Singrando céus e mares
em seu vôo solitário segue,
qual será seu destino?
Sua sorte ja foi dita...
voa solitaria águia
busca teu par
 busca  teu ninho...
Como águia quantas vezes
nos vimos solitários em vôos
de busca, de encontro de nós mesmos
Vôos altos vôos rasantes
sem sabermos nosso destino,
Vôa aguia mostra-me o caminho...
Fatima mello[fofinha]
Bagé, 23/01/08

terça-feira, 12 de abril de 2011

PACATO CIDADÃO: INTERnacional

PACATO CIDADÃO: INTERnacional: "Inter comemora acerto com Falcão com virada por 6 a 2 sobre o UniversidadeDepois de levar dois gols no início do jogo, Colorado goleia..."

PACATO CIDADÃO: Médico milagroso

PACATO CIDADÃO: Médico milagroso: "Um advogado, andando pela rua, viu uma placa que dizia:'Clínica Médica: tratamos qualquer doença; resultado garantido ou seu dinheiro de vol..."

colorados

COLORADOS

NÓS COLORADOS MUDAMOS DE TECNICO...

TIRAMOS UM BURRO...

E COLOCAMOS O FALCAO


*FALCAO VOA ALTO E NAO MORRE POR QUALQUER COISA, É VENCEDOR*
SOU

Fátima Mello(fofinha)

Sou brisa mansa,
após dia escaldante.
Sou chuva fina,
que molha e refresca a'lma.
Sou o antes e o depois
Sou o certo, sou o errado
Sou o branco, sou o negro
Sou a vida, sou a morte
Sou a verdade e a mentira
Sou quem dá, sou quem tira
Sou verbo, sou substantivo
Sou a rosa, sou espinho
Sou o sim , sou o não
sou o verso e o reverso
sou o sim , sou o não
sou certeza e incerteza
sou...sou...sou
sou ..tantas...sou
Mas quem é mesmo que sou?

DANCEMOS
Fátima Mello(fofinha)


BAGÉ,18/03/07

Rodando dois pra lá, dois pra cá
deslizando pela vida vamos
um só compasso um só coração
corpos colados, sorrisos dobrados
embalados pela canção seguimos

dois pra lá, dois pra cá

Tu a segurar-me com maestria
diriges nossos passos, rodopio
dançando a dança da vida
Entrelaçados corpos grudados
seguindo aos som das notas tocadas

dois pra lá, dois pra cá

Vivamos a magia do momento como se único fosse
Vem meu amado,nos salões, na rua na cama
Dancemos como eternos enamorados
Unidos no mesmo compasso seguimos a rodopiar
driblando a vida driblando a sorte...

Dois pra lá, dois pra cá

Enlouquecidos , suados, extasiados
vem meu amado me faz sonhar!
Depois da Juventude.
 
23/01/06
 
Quando somos jovens o mundo todo nos parece feito de sonhos.
Sonhamos dormindo,
sonhamos acordados,
sonhamos o tempo todo,
somos corajosos e atirados
nada nos é perigoso, somos arrojados.
 
Os anos passam sem que apercebamos,
de repente acordamos,
não somos mais jovens
e descobrimos que não estamos mais sonhando, sentimos que a vida não mais nos açoita com grandes surpresas,
é onde nos encontramos com mais experiência.
 
Estão nos amadurecemos,
nos tornamos mais equilibrados,
contidos e ponderados,
perdemos a espontaneidade
 da juventude mas ganhamos experiências pelos anos vividos.
Essas experiências fazem
com que juntemos
os pequenos e os grandes momentos
e aproveitemos,
investindo melhor em sonhos e pensamentos.
 
Uma das grandes bênçãos
da vida é a experiência
que os anos vividos nos
concedem por excelência
Após a juventude uma nova era se abre
diante de nossos olhos e a sabedoria
que nos é dada pela vida
nos ensina que a beleza esta na escolha de novos horizontes.
 
Depois da Juventude nos vem uma era de reflexão onde nossos horizontes são conduzidos,
calcados nas experiências pelos anos  vividos.
Damos outro sentido em nossas vidas
conduzindo-a com maturidade e com serenidade.
 
Quando nos amadurecemos compreendemos 
que  é vital olharmos para o futuro com esperanças, 
nunca  pararmos no tempo, termos sempre metas e aspirações.
É crucial  darmos sentido em nossas vidas
para torna-lá  repleta de alegrias e realizações.
Pena que muitas vezes deixemos a vida a rolar sem dar valor a toda essa experiência vivida e vivamos a nos machucar.
    Agora que é nossa hora de curtirmos de nos unirmos em prol da velhice que chega, que aproveitemos nossos momentos sós que vivamos o que não vivemos por causa das preocupações com o bem estar dos filhos em vez do nosso.
 
    Eles cresceram se tornaram independentes e nos nem nos percebemos, o corre corre foi maior em busca de melhores condições a eles e a nós mesmo.
    Mas uma coisa ficou o amor que tenho e sempre tive, embora muitas vezes nem mesmo tenhas me olhado e visto as rugas que o tempo me deu...
Os cabelos brancos cada vez em maior número, mas no peito apenas uma vontade..
SER FELIZ!!!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

MEU HOMEM
Fátima Mello(fofinha)
Tem o cheiro de terra molhada
Não vem montado em cavalo branco
Mas vem com pés bem postados na terra
meu homem sabe o que quer...
sabe amar como nenhum,
me cobre de flores
canta lindas canções ao pé do ouvido
é doce como mel
Tens mãos macias, acarinha meu corpo
descobres pontos nunca tocados
Meu homem é amigo companheiro
Tem o tamanho do coração
meu homem vibra com meus sucessos
Mas chora minhas lagrimas também
Meu homem tem a medida certa do diabo e do anjo
Saber ser o homem sonhado
e ao mesmo tempo o menino levado
meu homem é cantado em todo tipo de versos
Meu homem e meu início e meu fim
Sem medidas sem preconceitos
aplaca todos meus desejos me faz fêmea ardente
Meu homem tem um porém
Apenas me ama, e fim.

Sentimentos loucos

Fatima Mello[fofinha]
Que nome dar a esse sentimento que tomou conta de mim?
Você aparece do nada e de repente toma conta de tudo e diz que nada está entendendo
Sabemos tudo que vamos falar,
coincidências que assustam no começo,
depois tudo se torna natural como o céu que não tem fim
Até as nuvens que brincávamos em segredo, temos em comum
Aos poucos percebemos,
 que de dois,
somos apenas um
Corações atormentados se despedem
 dando vez a calma por ambos,
 tão almejada
A chave perdida,
finalmente encontrada,
 éramos guardiões delas,
sem saber onde o dono se encontrava
Sentimentos loucos,
 que hoje agradecemos por tanta insanidade, pois nada mais era,
 o Amor que por trás de tudo,
feliz e são...que nos aguardava!!


Ocorreu um erro neste gadget