sábado, 28 de abril de 2012

FERA MULHER

Fátima Mello-fofinha

Dentro de um casulo
ela se recolher perdida
Quer escondida deixar rolar
a lagrima que teima escorrer
Não quer que sintam pena
nem mesmo que a mão lhe estendam
por piedade se recolhe na mesmice do dia a dia
ora mulher ora fera,
Sem orquestas tocando
sem ver a flor desabrochar
fera mulher numa metamorfose sem lucidez,
Fera e mulher se confundem se fundem em uma só
em luta constante uma se sobrepondo a outra
Neste casulo procura a serenidade da mulher
querendo a fera dominar
qual das duas irá surgir?
A fera ou a mulher?

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Hoje não vou falar de amor
nem mesmo da dor que sinto 
não vou falar do quão importante tu és
nem da vontade de ficar ali quietinha
só escutando o bater de nossos corações

Hoje não vou falar da saudade
nem mesmo daquela vontade
de somente perto de ti ficar
debruçados na cama
traçando mil planos 

hoje não vou falar
só vou escrever
da saudade
do amor
da vontade

HOJE só quero rever 
todas a coisa que juntos traçamos
que muitas vezes brigamos
pra finalmente concretizar

hoje não vou falar de amor
somente escrever sem nexo
sem figuras de linguagem complexas
nem rimas rebuscada
hoje só vou escrever o trivial...
porque falar de amor
já se tornou banal

domingo, 22 de abril de 2012

Mel e Fel


"Desta vida ja vivi tudo
saboreei o mel
mas muitas vezes
senti o sabor amargo do fel.
Andei em nuvens ao sabor do vento
mas desci ao inferno em un instante.
Colhi rosas, sentindo seu suava aroma
mas, descuidada e afoita,
senti na carne o espinho...
Fui amante, fui donzela,
fui arrimo, fui douçura,
fui doutor, fui professor,
em reposta só amargura...
Vivi tantos amores
e senti muitos dissabores,
mas colhi duas lindas flores
meus dois grandes amores
que fizeram com que a vida
se tornasse menos amarga.
Plantei amor, plantei carinho,
honestidade e franquesa.
Chega a hora da colheita...
Novos amores, novas flores
dos espinhos só distância
pois já sei onde encontrar
quero agora desfrutar
a douçura do mel
e o divino aroma da flor."
  
Fátima Mello
fofinha
Lembrando de você
Fatima Mello - (Fofinha)

Fechando os olhos
tua imagem surge
inundando meu pensamento
meu corpo responde
se enchendo de calor
e arrepios de saudade
uma vontade intensa
um desejo latente
ter tuas mãos em mim
tua boca percorrendo
meu corpo...
desejo intenso
vontade de te beijar
de ter teu corpo
quente cobrindo o meu
uma doideira intensa,
sem pudor ..
sem nexo...
sem dogmas...
Uma entrega total...
quentura real
quero fazer do meu corpo
teu ninho, onde sacias tua fome
tuas loucuras...

EMBRIAGADA
Fátima Mello/ fofinha


Embriagada com teu olhar
com o desejo que nele vejo
Meu corpo sofre tremores
Meus lábios imploram desejos
Teus braços me procuram
Tuas mãos me exploram
Eu indolente fico a estar
Embriagada desse prazer
Fico quieta sem reação 
Apenas me visto de desejo
Esperando nesse olhar penetrar.
COMO ESQUECER
   Fatima Mello(fofinha)

   Como esquecer,
se fostes o sonho da menina
   Como esquecer se me fizestes mulher,
   e jurou-me amor por uma vida inteira.
   Não , não sou aquela que jurou e não cumpriu.
   A ti dei o melhor de mim,
   Todo dia esperei teu carinho,
 mas tu não deu.
   Todo dia esperei um gesto
 de que tinha teu amor.
   Por um momento apenas,
queria ser amada como sempre sonhei.
   Hoje andamos em linhas paralelas,
   nos perdemos dos sonhos, pensados, jurados.
   Mas eu não esqueci.
   queria que tudo fosse feito  de outra maneira,
   Pois o amor deveria ser mais forte mas não existiu.
Tu segue teu caminho e eu o meu...
Vibro nos teus sucessos
torço por tua felicidade!
E tu pensas nos meus sonhos,
vibras, te importas?
 
**********
COMO OLVIDAR
   Fatima Mello(fofinha)

   Como olvidar,
si fuiste el sueño de niña
   Como olvidar si me hiciste mujer,
   y me juró amor por una vida entera.
   No , no soy aquella que juró y no cumplió.
   A ti te di lo mejor de mi,
   Todo día esperé tu cariño,
 mas tu no lo diste.
   Todo día esperé un gesto
 de que tenía tu amor.
   Por un momento apenas,
quería ser amada como siempre soñé.
   Hoy andamos en líneas paralelas,
   nos perdemos de los sueños, pensados, jurados.
   Mas yo no olvidé.
   quería que todo fuese hecho  de otra manera,
   Pues el amor debería ser mis fuerte mas no existió.
Tu sigue tu camino y yo el mío...
Vibro en tus sucesos
tuerzo por tu felicidad!
Y tu piensas en los  sueños míos,
vibras, te importa?

SOU
 
 
 
No manancial da verdade
me banho desnuda
entre hibiscos e flores multicor
me deleito em seus perfumes
Sou manha de sol radiante
entardecer de sol poente
sou límpida como cristal
sem macula procurando sempre
da imperfeição me furtar
Procuro ser sempre chuva mansa
que molha a terra sem destruir,
ser sol da primavera
que as arvores ajuda a florir.
Sou verdade sou amiga
O verbo mentir não sei conjugar
prefiro sempre o verbo unir
pra que possa em minha cama dormir.
 
Fátima Mello[fofinha]
que seria da minha vida
sem teu olhar pela manhã
e os carinho na madrugada
 
que seria de minha vida
sem tua presença noite e dia
da cumplicidade que desenvolvemos
 
que seria de minha vida
sem a mãos amiga
que dia a pós dia me estendes
 
que seria de minha vida
sem os dissabores
que vivemos por tanto tempo
 
que me fizeram lutar
gritar contornar
pra que hoje cheguemos
aonde estamos
tranqüilos sem dissabores
filhos criado e vivendo um para o outro .
 

VoltandoFátima Mello[fofinha]

Não sei ate quanto minha ausência foi sentida,
não sei quanto eu senti me afastar
mas precisava de um tempo só pra mim
onde a única preocupação fosse refazer
minha vida , reviver minha casa
colocando no lugar todas emoções,
revendo tudo
nova casa novos momentos...
 
Mas estou retornando,
não sei onde parei
nem que rumos tomar,
vejo que meu quarto foi arejado
 
que as janelas foram abertas
deixando o sol entrar
trazendo calor pra volta
e o frescor do amor
Estou de volta...
Só sei que parti um dia
e que sempre e bom retornar
seja de onde for
nem sei para onde vou...
 
 
 

 
 
 
ASSOVIANDO
 
SEM PREOCUPAÇÕES
SEM DESTINO
SIGO...
LEVANDO A VIDA
ORA ASSOVIANDO
 ORA CANTANDO...
SEM RUMO CERTO,
SEM POUSO...
DESTA VIDA
SÓ QUERO O ASSOVIO
QUE ME SEGUE...
Fatima Mello-fofinha
Professor Sim...

Com muito orgulho...
a missão de ensinar abracei,
procurando todo dia repassar
e receper conhecimentos...
Professora, amiga, conselheira,
mas principalmente formadora...
Não de atletas de alto nível,
ou corpos esculturais,
mas sim formadora de caráter,
de cidadãos
plenos de sua importância em uma
sociedade injusta,
onde só os poderosos tem seus direitos, e o pobre seus deveres.
Ensino que ganhar ja vem de berço
e todos sabem,
mas procur0 ensinar a perder,
que no jogo da vida muito se ganha,
mas muito se perde também,
mas devemos perder com dignidade,
humildade e honra.
Se algum de meus ex alunos se destacou,
foi pelos seus próprios meritos,
sua própria determinação em vencer.
Profissão regulamentada,
reconhecida pelos meios de comunicação,
mas que adianta tudo isso,
se o valor que temos vale muito pouco?
Antigamente era uma honra ter uma filha professora ou um filho médico,
Hoje  já não é mais assim... Professor,
e mercadoria barata,
não vale a pena investir...
Se um dia voltar novamente
com certeza um professor serei de novamente...
Parabéns colegas Professores, somos guerreios por opção!
Fatima Mello(fofinha
)


PORQUE/POR QUE/PORQUÊ/POR QUÊ Fátima Mello(fofinha)


A criança logo que fala
o por que das coisas quer saber
mas são tantos os porques,
por que nasce
por que cresce
por que mata
...destrói
...constrói
por que cala
por que fala
Diz a gramática ser quatro os porquês
porquê-substantivo e tem significado de um motivo
porque-uma conjunção causal explicativa
por que-preposição por mais pronome interrogativo
 ou indefinido
por quê- quando vier antes de um ponto
(interrogação, exclamação)
Mas o verdadeiro porque
eu queria saber
uns dorme em berços de ouro
outros ao relento
uns tem tudo
e outros nada tem
uns em cama de cetim
outros em catres
uns em casebres
outro em palacetes
como se não fossesmos
todos carne e ossos
por que de tantas diferenças
porque por que porquê por quê?
 
 

 
 
"Por favor!
Alguém sabe o telefone do céu?
Busquei no google,
em todos os sites,
nas listas telefônicas,
no 102 e nada...
Ninguém soube me informar.
Por favor!
alguém sabe?
Era somente hoje
que eu queria telefonar,
prometo aos anjos
 nunca mais incomodar...
Queria hoje falar com minha mãe, e dizer a ela, que aqui na terra continua tudo igual...
Os rios continuam a correr,
os pássaros a cantar,
o frio já chegou castigando
a relva verde do jardim...
Mas algo mudo, hoje
me animo a escrever o que sinto,
coisa que ela tanto queria,
seguir sua trajetória no mundo das letras.
Queria agradecer,  
por ter sido sua filha,
e por todos ensinamentos,
e principalmente por ter herdado dela, dignidade, humildade e principalmente,
por abominar como ela a tal mentira.
Por favor!
Alguém pode me dizer,
o telefone do céu?
É urgente!
queria falar a minha mãe,
por uma vez mais que a Amo!"
*******
Ainda espero conseguir...
nem que seja ao vivo dizer...
Mãe a saudade é tanta,
 a vontade de deitar
a cabeça em teu colo,
e sentir teu afago,
que consola todas dores todo mal...
Sentir tua mão ungindo
o lugar onde tinha dor
e que por incrível que pareça
a dor passava, se era milagre
ou apenas fé em ti não sei...]
Mãe tenho me sentido
tão só, tão perdida
que meu corpo
começou a adoecer,
não sei se pela saudade
ou pela solidão...
Mãe por favor entra em contato comigo
to precisando de teu colo...
 
Bagé, 10, maio de 2008
 
Fátima Mello
 
13/05/07
 

Dilema
 
Fátima Mello[fofinha]
 
Num emaranhado de pensamentos
me vejo neste instante, se grito se calo
Quando a injustiça e a mentira
se faz presente em nossas vidas
ficamos num eterno dilema
gritar dizendo que não
ou calar e apenas observar
ate onde o ser humano é capaz
de ir com suas mentiras
que podem marcar alguém
que podem destruir
Como pode o ser humano
ser tão insano e deixar
sua imaginação voar ate esse ponto
Soltando aos quatro ventos a injuria
Será que era isso que ele quer
ou apenas se vingar pelo
que jamais iria acontecer.
Acredito que calar e perdoar
e a maneira mais certa
de todas as injurias calar.
Tenho certeza que todo mal
que fazemos a alguém,
mais dias menos dias se voltam
a nós mesmo com muito mais poder.
Então me calo e fico a instar.


Ocorreu um erro neste gadget