sexta-feira, 30 de setembro de 2011


Teia da Vida

Como uma aranha
teci meus caminhos
procurando sempre o melhor
andei por ruas escuras
em busca de uma saída
muitas vezes sem achar
 a ponta do fio quis desistir
Mas fui paciente
e ponto a ponto voltei a tecer
vivi e senti a maldade
sorvi gota a gota a vida
procurando tirar o melhor sabor
de cada gota ingerida.
Como uma aranha fui persistente
colhendo hoje o melhor
de minha obra
|Uma teia perfeita
e sólida, resistente
a tudo e a todos.
Fátima Mello
(fofinha)

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

LIBERDADE SEM LIBERTINAGEM

Fatima Mello-fofinha

Saber ate onde podemos ir
sem que as pressões normais
de uma sociedade medíocre
nos diga como e de que maneira ir,
Faz de nos seres presos a costumes
que são imposta a todos
sem que tenhamos pedido
ajuda pra tal nem satisfação
Hoje a liberdade esta solta
e muitos acham que ser livres
e serem libertinos que tudo podem
sem que se preocupem com sua imagem
A mídia faz com que nossos jovens
estejam apelando mais para
libertinagem do que a própria liberdade
]essa tem um preço por vezes cruel
mas que temos que seguir sem que
recebamos tarjas impostas a sociedade
A mulher se libertou dos sutiãs
mas não se libertou de sua honra
Dominou mercados antes so de homens
mas não se libertou do direito de parir
nem de amamentar suas crias
E mesmo em cima de um taco 15
deve sempre manter sua honra.


Liberdade de ir e vir
Fátima Mello-fofinha

liberta da tirania e dos grilhões
imposto como vivente
em uma sociedade maligna
acordo pra vida
E dela desfruto como quem desfruta
dos melhores manjares
hoje vivo e não apenas sobrevivo
Pena que tão tarde descobriram o bulling
Meu ir e vir sempre foi cerceado
pela obesidade de um corpo
Hoje dentro dos padrões
os olhares impostos a mim
já são olhares normais
já não existe mais prisão em roletas
nem os bancos pequenos demais
A crueldade que so vê corpos
esquálidos doentes e cruel
as pessoas que vivem
nos seus sobrepesos
que tem que se ver sempre
a margem dessa sociedade
Ocorreu um erro neste gadget