terça-feira, 27 de novembro de 2012

Noite
Fatima Mello


o silencio,
o mistério,
e a solidão da noite
inebria, seduz ...
fazendo com que sonhe em versos,
transportando os sonhos além
mito além do pensamento...
busca alegrias
busca esperanças
traduz sentimentos,
a noite se faz parceira
amante,
companheira,
na solidão dos versos,
as como um sopro de vento
ela surge majestosa imponente,
colocanto o pensar latente
em um coração presente
deixando derrmar no papel
sentimentos nunca antes decritos
vontades nunca antes sentidas
nas sombras da escuridão
deixo a vida e o sonho vagar
como se fosse ele mister
de todas vontades sentidas

terça-feira, 13 de novembro de 2012

A vida quando menos esperamos nos apronta novidades muitas vezes não como desejamos, ai so temos que nos render ao destino que nos foi reservado, jamais fui de me entregar a uma luta, nem mesmo de dar a guerra por vencida sem lutar. Mas existe momentos que o melhor dos guerreiros sucumbe ante o inesperados e perde as forças de luta.Quero retornar a ser a guerreira que sempre fui que ja enfrentou um leão por dia e dormiu cercada  das incerteza, mas ai cadê as força, onde foi prar toda garra? Aqui fico a pedir luz , aos que ja partirame  aos que ainda me cercam. Meu destino está selado dede o momento que nasci posso tentar adiar o maximo mas ...Se é mforça que tenho pela frenais uma prova de te que venha vou dar tudo de mim pra vencer.Não sei como vencer o rio e suas corredeira, nem as tempestades, ja nem sei mais controlar meu destino, meu corpo meu coração, adoeceu e não foi de amor, amor não mata so ajuda a revigorar, mas senciosamente ele vemil desfalecendoe eu malvada cada dia mais e mais o maltratando, ha cigarro...

domingo, 19 de agosto de 2012

 
    Fátima Mello(fofinha)
 
    Que gerou o filho
    que deu seu sangue em forma de leite,
    e viu o dia raiar a embala-lo.
 
    Mulher que foi a luta
    lavou,coseu, riu,
    chorou e brincou...
    Mas seu sustento nunca faltou.
 
    Mulher de múltiplas facetas
    mãe, amante, arrimo
    que não deixou a vida lhe tirar o brilho
 
    Viveu nas ruas mendigando
    foi doutora, professora, enfermeira
    Hoje brilha por ver sua obra formada
    Seu filho hoje é doutor.
 
    Mulher apenas mulher
    BÁGÉ, 25/01/07

BOA NOITE AMOR!
 
Fatima Mello[fofinha]
 
 
Não vi tu partir
mas sinto que fostes
pensando em mim...
com vontade de me levar junto
pra poder senão zelar
pelo menos te acarinhar...
Boa noite amor!
Não senti teu beijo
mas sei que pensou
meus lábios tocar com os teus
e meu corpo cobrir com o seu...
Boa noite amor!
que teu sono seja leve
como a pluma que cobre o passaro
e mesmo molhada lhe deixa voar...
Boa noite amor!
Amanhã espero novamente sonhar
que juntos finalmente iremos deitar...

 
 
Pena que muitos não conseguem entender
a grandeza das amizades e do bem querer
que pode ser compartilhados através do virtual
 
Não é facil mesmo compreender,
como pessoas que nunca se viram,
nunca sequer se tocaram,
possam trocar tanto carinho...
 
Cá entre nós!
você que esta ai do outro lado
quero que saibas és importante para mim,
o quanto tu representas através deste espaço.
 
dividindo pensamentos, sonhos ,bençãos,
cinfidências muitas vezes e amizade..
 
Este é um lugar, meio divino
meio humano, meio maquina,
novo diferente, de explorarmos
nossas emoções...
 
cá entre nós!
eu quero que saibas,
que meus dias brilham mais
são mais felizes por saber que ai estas,
a me ler ou mesmo criticar.

que mesmo sem entender
que você se tornou parte de mim,
seja com palavras ou somente um bom dia!
Mas mesmo assim parte de mim...
 

Do nascente ao poente




***   Do Nascente ao Poente ***


Fátima Mello(fofinha)

Do nascente ao poente,
o sol tem sempre uma jornada a cumprir...
Assim é nossa vida,
do nascer ao morrer,
também temos metas a cumprir.
Ora brilhante,
ora ofuscado por nuvens carregadas.
Mas sempre achando uma brecha para,
entre as nuvens brilhar. 
 



*** Insana***
 
Vagando sem rumo sigo,
quero te encontrar,
seja no céu na terra no mar
sei que em algum lugar
deves certamente estar,
por andar a esmo sem destino
de insana me chamam
mas loucos são os que
não buscam a felicidade...
Não almejam novos caminhos
não lutam
apenas ficam na espera
da felicidade finalmente
a sua porta bater...
insana, desajusta
mas a felicidade
de mim não escapará.

Fátima Mello (Fofinha)
 
 
 
 
         
 
 
 


 
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Voltando

Fátima Mello[fofinha]
 

Não sei ate quanto minha ausência foi sentida,
não sei quanto eu senti me afastar
mas precisava de um tempo só pra mim
onde a única preocupação fosse refazer
minha vida , reviver minha casa
colocando no lugar todas emoções,
revendo tudo
nova casa novos momentos...
 
Mas estou retornando,
não sei onde parei
nem que rumos tomar,
vejo que meu quarto foi arejado
 
que as janelas foram abertas
deixando o sol entrar
trazendo calor pra volta
e o frescor do amor
Estou de volta...
Só sei que parti um dia
e que sempre e bom retornar
seja de onde for
nem sei para onde vou...
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
Que seria de mim?
Fátima Mello[fofinha]
 
que seria da minha vida
sem teu olhar pela manhã
e os carinho na madrugada

que seria de minha vida
sem tua presença noite e dia
da cumplicidade que desenvolvemos

que seria de minha vida
sem a mãos amiga
que dia a pós dia me estendes

que seria de minha vida
sem os dissabores
que vivemos por tanto tempo

que me fizeram lutar
gritar contornar
pra que hoje cheguemos
aonde estamos
tranqüilos sem dissabores
filhos criado e vivendo um para o outro .
 


 

 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 


 
 

 

 

 
 
 

 
 

 
 
 
 

 

SOU
 
 
 
No manancial da verdade
me banho desnuda
entre hibiscos e flores multicor
me deleito em seus perfumes
Sou manha de sol radiante
entardecer de sol poente
sou límpida como cristal
sem macula procurando sempre
da imperfeição me furtar
Procuro ser sempre chuva mansa
que molha a terra sem destruir,
ser sol da primavera
que as arvores ajuda a florir.
Sou verdade sou amiga
O verbo mentir não sei conjugar
prefiro sempre o verbo unir
pra que possa em minha cama dormir.
 
Fátima Mello[fofinha]
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 


 
 

 

 

 
 
 

 
 

 
 
 
 
 
 
 
 

 
 

PORQUE/POR QUE/PORQUÊ/POR QUÊ Fátima Mello(fofinha)


A criança logo que fala
o por que das coisas quer saber
mas são tantos os porques,
por que nasce
por que cresce
por que mata
...destrói
...constrói
por que cala
por que fala
Diz a gramática ser quatro os porquês
porquê-substantivo e tem significado de um motivo
porque-uma conjunção causal explicativa
por que-preposição por mais pronome interrogativo
 ou indefinido
por quê- quando vier antes de um ponto
(interrogação, exclamação)
Mas o verdadeiro porque
eu queria saber
uns dorme em berços de ouro
outros ao relento
uns tem tudo
e outros nada tem
uns em cama de cetim
outros em catres
uns em casebres
outro em palacetes
como se não fossesmos
todos carne e ossos
por que de tantas diferenças
porque por que porquê por quê?
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 


 

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Sou poeta e dai,
que culpa tenho
se não quero mentir, 
nem calar minha voz
nas mazelas da vida,
sou poeta e dai,
não tenho menos brilho,
que doutor nem professor,
nem palácios construo
a não ser no poetar
vou unindo verbos a substantivos
predicados e conjunções
Afinal sou poeta, e dai
nas palavras conjugo o verbo
entre linhas falo da dor
falo dos meus e dos teus desamores
vou construindo meu mundo
na roda da vida vou girando
buscando a melhor palavra
para no papel colocar
afinal, sou poeta, e daí

quarta-feira, 20 de junho de 2012


 
Deixando a mente vagar
e o coração deixar os dedos escrever
tudo que escrevo vem de um sentimento
sem nada planejado nem copiado,
deixo os dedos correrem pelo teclado
e como em transe escrever
Faço poemas como falo
procurando nas palavras algo a dizer
não quero escrever em vão
sem uma mensagem deixar
faço poema para o pobre
e o rico entender...
Não quero que digam
ele não sabe escrever
Faço poema que saia das entranhas
seja de dor ou de amor
apenas faço poemas.
Pode ser que o que diga
sirva de alento a algum coração
ou mesmo de conselho na indecisão
Faço poemas para ti.

Com meu carinho o seu selo de participação
na Antologia para Portugal com o texto: “Cristais”

sexta-feira, 8 de junho de 2012





Explosão
Fatima Mello - Fofinha

Numa explosão de mudanças
vi,
senti as coisas irem acontecendo
novas formas surgem majestosas
novos contornos são vislumbrados
Mundo novo
Novos pensamentos
Identidade reorganizada
são tantas coisas a serem estruturadas
Aceitas
Revistas
Sentidas
Mas os valores
os ideais
os sentimentos
permanecem imutáveis
a vida segue os mesmos rumos
as decisões são novas
os ideais os mesmos
 



Acordar
Fatima Mello
(Fofinha/RS)
 
Ao acordar olhei-me no espelho
Nele vi refletido todos os sonhos
Que não alcancei...não vivi...
Sonhei voar em busca do infinito
Ousei encontrar uma paz mais perfeita
Mas sonhos... que são sonhos?
Reflexos do querer?
Almejar aquilo que não conquistamos
Há sonhos!
Sonhar e recusar o real.
Como não SONHAR?
Não querer buscar o infinito
Como negar o sonho mais bonito...
Quero continuar sonhando,
Somente desta maneira continuarei viva.
Sentirei que sou autora dos ideais mais bonitos, e
Farei da minha vida um bem infinito.
 
 
 
 
 
 
 
 




Sou...
 
Fátima Mello[fofinha]
 
O fruto maduro
que não foi colhido
e do pe caiu...
a chuva mansa
que escorre pela vidraça
deixando um caminho por onde passa
a brisa mansa refrescando
o andarilho do cansaço...
Sou o antes o depois
a negação da mentira
a certeza do certo
sou a que foi
e a que será
não sei se amada
mas sei que sou tua
sou razão e emoção
na medida certa...
 



Tu és e será

A flor mais formosa
Do jardim da minha vida.
Chegastes como nada queria
Inebriando-me com seu perfume
Senti meu corpo esmoecer
O coração em taquicardia
Sabia desde o primeiro olhar
Que te farias dono
Deste pobre coração
Tão desgastado pelo desamores
Por tantos dissabores
Me desnudastes da hipocresia
Fez-me mulher
Fez-me amiga
Fez-me virar flor
Para perfumar a nossa vida
Deixando um pouco de perfume
Pelos caminhos que juntos percorreremos
Tu és meu e eu sou tua

Fatima Mello[fofinha]

Dançando

A musica nos leva a sonhar
e em outros lugares estar
sonhando ou amando
como em um bailado ficar,
unidos dois corpos sedentos de prazer
elevados pela musica, ali tu e eu
em um compassso só
nos entregamos
Eu temerosa tu todo afoito
sem saber de que forma me acalmar
tuas mãos sedentas
por meu corpo desliza
teu labios em busca dos meus
e ao compasso da musica
me ponho a sonhar...
 
FatimaMello
Fofinha



quinta-feira, 7 de junho de 2012

Mulher

Que gerou o filho
Que sorriu que chorou
Mas sua lagrima nunca mostrou
Amamentou e educou
Que amou que sofreu
Mas calada se conformou,
Da vida sorveu a doucura
Sentiu o amargor.
E ainda a mesma mulher
Que a vida nem viu passar,
Que amanhaceu sorrindo
Mas deitou chorando,
Sem saber de onde tirar o sutento
Mesmo sorrindo ou chorando
Continuou firme e nao se deixou derrubar
Com todas transformacoes
Continua ainda a ser:
A mesma MULHER

Fatima Mello[{fofinha}







 
 

colorados

COLORADOS

NÓS COLORADOS MUDAMOS DE TECNICO...

TIRAMOS UM BURRO...

E COLOCAMOS O FALCAO


*FALCAO VOA ALTO E NAO MORRE POR QUALQUER COISA, É VENCEDOR*

Ocorreu um erro neste gadget