sexta-feira, 3 de junho de 2011

Cigarro



Fátima Mello-fofinha


Entre uma baforada e outra
mundos se deslumbram
a vida se esvai entre dedos
queima a bagana,
vicio ou falta de coragem de vencer
quão fraco e o ser
que apenas um pequeno cilindro branco
carregado de fumo
lhe tira a paz e o controla...
que poder 
  tem o cigarro
por que vicia...
que me domina
que me alucina
tirando a razão
e nem restando emoção.

Um comentário:

  1. Olá amiga!
    Vim matar um pouco a saudade...
    Linda poesia. Para quem tem arte no sangue, até o cigarro se torna fonte de inspiração!

    Bjs,

    Tânia Camargo

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget